Fernando Roldão Dias Agudo

Fernando Roldão Dias Agudo nasceu em Mouriscas (Abrantes) a 25 de novembro de 1925. Frequentou o Liceu de Santarém, onde completou o curso geral dos liceus, em 1942, e o curso complementar de ciências, em 1943, ambos com 20 valores. Ingressou então na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), onde em 1947 obteve o grau de licenciado em Ciências Matemáticas. Ainda estudante, recebeu o Prémio Nacional Francisco Gomes Teixeira pelo trabalho “Sobre um Teorema de Kakeya”, publicado em 1952 na Gazeta de Matemática.

Em 1951, Dias Agudo licenciou-se em Engenharia pelo Instituto Superior Técnico. No mesmo ano, ingressou como professor assistente na FCUL. Em 1955, obteve o doutoramento nessa mesma faculdade. Lecionou também no Instituto Superior de Agronomia (1948 e 1949), no Instituto Superior Técnico (1959-1964), na Universidade de Lourenço Marques (1970-1972), na Universidade Nova de Lisboa (1975-1983) e na Universidade da Beira Interior (1990-1997).

Foi investigador visitante na Universidade da Califórnia, em Berkeley (1957 e 1958). A sua carreira científica desenvolveu-se em diversas áreas, com especial ênfase em Análise Funcional. O matemático publicou artigos em revistas nacionais e estrangeiras, e é autor do livro "Análise Real". Interessa-se ainda por história da Matemática, e participa no projeto de publicação das obras de Pedro Nunes.

Durante a sua carreira, Dias Agudo exerceu diversos cargos administrativos de grande relevo. Foi diretor da equipa-piloto portuguesa que, no âmbito da OCDE, fez o estudo das necessidades de investigação científica e técnica em relação com o desenvolvimento económico e social do País (1966-1968), diretor da Faculdade de Ciências de Lisboa (1973 e 1974), presidente da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica (1974-1976), e presidente do Instituto Nacional de Investigação Científica (1980-1983).

Eleito tesoureiro da Academia das Ciências de Lisboa em 1979, tem sido sucessivamente reeleito para o mesmo cargo. Durante vários anos, representou a Academia junto da Comissão Nacional de Matemática, em ligação com a União Matemática Internacional. Foi também presidente desta comissão. Fez parte do Conselho executivo da Assembleia Geral da Fundação Europeia de Ciência, e do Comité de Finanças da Assembleia Geral do "International Council for Science" (ISCU).

O matemático é ainda membro da The New York Academy of Sciences e da Academia Scientiarum et Artium Europaea, entre outras sociedades científicas.