Prémio José Anastácio da Cunha - 3ª Edição

À terceira edição do Prémio José Anastácio da Cunha podiam concorrer dissertações de autores que tivessem obtido o grau de Doutor entre 1 de Janeiro de 2001 e 31 de Dezembro de 2006.

O prémio foi atribuído a Jorge Miguel Milhazes de Freitas, autor da dissertaçãoStatistical Stability for Chaotic Dynamical Systems, realizada sob a orientação de José Ferreira Alves e Maria de Fátima Pires de Carvalho da Universidade do Porto.

O júri foi constituído por Mário Figueira (Universidade de Lisboa), Peter Gothen (Universidade do Porto), Margarida Mendes Lopes (Instituto Superior Técnico), António Pacheco (Instituto Superior Técnico), Luís Trabucho (Universidade Nova de Lisboa) e José Miguel Urbano (Universidade de Coimbra) - presidente.

O Prémio consiste num diploma e numa dotação em dinheiro no valor de 20 000 (vinte mil) euros, sendo integralmente financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).



Statistical Stability for Chaotic Dynamical Systems
Resumo

A dissertação é dedicada ao estudo da estabilidade estatística de sistemas dinâmicos caóticos. O principal objectivo do estudo de sistemas dinâmicos é determinar o comportamento futuro das órbitas, ou trajectórias, de um sistema. O espectro de aplicações é enorme e pode contemplar o mais ínfimo dos sistemas microscópicos, como o estudo do movimento das partículas num átomo, assim como sistemas macroscópicos a nível cósmico, como a formação de sistemas solares. De entre esta enorme variedade, a classe dos sistemas caóticos tem recebido grande atenção nos últimos tempos. Este tipo de sistemas apresenta sensibilidade às condições iniciais e, por razões intrínsecas, é muito complicado prever o seu comportamento futuro, pois pequenas perturbações têm repercussões colossais a longo prazo, o que é vulgarmente designado por efeito borboleta. Um exemplo de tais sistemas é o caso dos modelos utilizados nas previsões meteorológicas que apresentam atractores estranhos que propiciam o referido comportamento caótico. O trabalho desenvolvido mostra que, apesar da incapacidade de previsão analítica do comportamento a longo prazo, o comportamento estatístico de alguns destes sistemas é estável.