Novos Programas de Matemática, sucesso escolar e o Currículo para o século XXI

1. Perante um cenário mundial profundamente competitivo, a qualidade do Ensino da Matemática assume uma importância cada vez mais determinante para o futuro das novas gerações, razão pela qual a Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) defende um debate sério e rigoroso em torno destas questões, baseado na realidade observável. Foi nesse sentido que aceitou o convite do Ministério da Educação para estar presente na conferência internacional Currículo Século XXI – Pensar a Matemática, realizada hoje no Centro Cultural de Belém.

2. Das diversas intervenções, sai a SPM reforçada na convicção de que estamos, com os documentos curriculares atualmente em vigor, no bom caminho. Nas palavras do Professor Anthony Gardiner da Universidade de Birmingham, não existem “21st century skills” que possam ser ensinados de forma separada da Matemática. Um currículo matemático deve pois ser desenhado em torno de uma sequência matemática coerente. Atividades experimentais, projetos e trabalho interdisciplinar em demasia, quando não ancorados em programas, metas e objetivos curriculares bem definidos, bem estruturados e claramente avaliáveis, impedem professores e alunos de ver com clareza para onde devem caminhar. Na verdade, esta jornada demonstra o quão importante é o diálogo entre os diversos atores que pensam o Ensino português bem como o papel insubstituível que a SPM tem nesse mesmo debate.

3. A Sociedade Portuguesa de Matemática congratula-se com os resultados apontados no documento Comparação das médias de Matemática A em cada um dos três períodos de avaliação em 2014/15 e 2015/16 disponibilizado pelo Ministério da Educação. Este documento dá conta de um aumento «estatisticamente significativo» do sucesso escolar dos alunos do 10.º ano após a introdução dos Novos Programas e Metas Curriculares de Matemática em cada um dos três períodos que compõem o ano letivo. Tal como a SPM tem vindo a afirmar em diversas ocasiões, currículos bem construídos e estruturados, cientificamente coerentes e com objetivos claros e precisos são potenciadores de sucesso.

4. Estes dados oficiais contrastam com as declarações alarmistas veiculadas durante anos pela Associação de Professores de Matemática (APM), que previa, com a adoção dos Novos Programas, um «aumento brutal do insucesso» no Ensino Secundário (1) . Esta Associação advogava também estarem «criadas as condições para piorar em grande linha os resultados dos alunos portugueses» na avaliação internacional PISA 2015 (2) (3) (na verdade, Portugal obteve nesse ano o melhor resultado de sempre, situando-se pela primeira vez acima de média da OCDE. Também no TIMSS 2015 houve uma melhoria de resultados, ainda mais acentuada relativamente a 2011, tendo sido avaliados alunos do 4.º ano que seguiram o novo programa nos 3.º e 4.º anos de escolaridade - recomendado já no 2.º ano - e que foram submetidos a uma prova final do 1.º Ciclo de acordo com o novo Programa e Metas).

5. Depois da eliminação desta e de outras provas finais nacionais (em prol de inócuas “provas de aferição” cujo modelo no passado se mostrou de duvidosa eficiência) e também da eliminação do mecanismo da avaliação e certificação de manuais escolares, é com enorme apreensão que a SPM assiste a uma nova iniciativa do Ministério da Educação, designada por Identificação de Aprendizagens essenciais, que pretende sem qualquer fundamento eliminar 25% do currículo de Matemática – o que corresponde a três dos 12 anos do Programa de Matemática - em prol de atividades vagas e confusas, tais como justamente “projetos” e “trabalhos interdisciplinares”. É também inquietante o facto de que esta reforma está a ser orquestrada sem o conhecimento da SPM, arredada de forma veemente deste processo pelo Ministério da Educação, situação que mereceu já uma Audição Parlamentar na Assembleia da República.

6. A SPM, nesta conferência, apelou ao Ministério da Educação para que não comprometa o futuro dos jovens portugueses com o desmantelamento de mais uma das pedras basilares do Ensino de Matemática português - desta feita o currículo - que em conjunto com outros elementos de igual importância tem gerado sucesso e qualidade de aprendizagem.

 

(1) Jornal o Público, 5 de novembro de 2013;

(2) Jornal o Público, 3 de dezembro de 2013;

(3) Blog Educare http://www.educare.pt/noticias/noticia/ver/?id=22522.

 

Para mais informações contactar:

Gabinete de Imprensa da SPM: Ana Figueiredo, 217 939 785/ 933478494, imprensa@spm.pt

 

 



Publicado/editado: 13/01/2017