Eventos

AVISO: 

No dia 9 de março, a Universidade de Coimbra iniciou um Plano de Contingência, por um período de pelo menos 15 dias, para conter a propagação de COVID-19. Estão suspensos e adiados todos os eventos científicos e culturais.  A palestra de 14 de março será adiada para uma data a definir posteriormente.

 

TARDES DE MATEMÁTICA NO MUSEU DA CIÊNCIA 

As Tardes de Matemática da Delegação Regional do Centro da Sociedade Portuguesa de Matemática, que nasceram há mais de três décadas, têm sido um veículo importante de divulgação da Matemática junto dos alunos dos ensinos básico e secundário. Durante  o ano de 2020, o Museu da Ciência da UC associa-se à Delegação Regional do Centro da Sociedade Portuguesa de Matemática na organização de Tardes de Matemática. As sessões irão decorrer ao sábado, uma vez por mês.

 

Horário: 15h

Local: Museu da Ciência da Universidade de Coimbra (Sala Gonçalves Guimarães)

Entrada livre

 

14 de março:  A vida de Pi 

por António Bento (Departamento de Matemática da Universidade da Beira Interior)

O número Pi, que se representa por π, a décima sexta letra do alfabeto grego, é talvez o número mais importante da Matemática. Pode ser definido como a razão entre o perímetro e o diâmetro de uma circunferência ou como a razão entre a área de um círculo e o quadrado do seu raio. 
Nesta palestra sobre o número π falaremos
- das suas primeiras “ecografias” na Babilónia, no Egipto, etc;
- do seu “nascimento” na Grécia Antiga;
- da sua “infância” e de como o método da exaustão foi utilizado para aproximá-lo com 35 casas decimais correctas;
- da sua “adolescência” e de como, usando séries numéricas, foi calculado à mão com cada vez mais casas decimais, até chegarmos às 707 casas decimais (ainda que apenas 527 estivessem correctas);
- da sua “idade adulta” e dos mais de 31 biliões de casas decimais correctas calculadas através de computadores.
Falaremos ainda de algumas curiosidades e do aparecimento do número π em outras áreas da Matemática que não a Geometria
.

 

18 de abril:  A matemática na procura de respostas no âmbito da cardiologia

por José Augusto Ferreira  (CMUC, Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra)

Qual a localização das zonas de um vaso sanguíneo com maior risco de reestenose após a aplicação de um stent farmacológico? Sirolimus ou Paclitaxel, qual o mais eficaz? Qual a posição do stent farmacológico com melhores resultados? Estas são algumas das questões colocadas em cardiologia para as quais a matemática pode contribuir na procura de respostas.  Nesta palestra ilustramos como o diálogo interdisciplinar entre a cardiologia e a matemática pode encontrar solução para questões médicas.

 

23 de maio:  O Universo enquanto laboratório matemático

por João Fernandes (Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra)

A Matemática e a Astronomia têm uma relação forte e secular. Durante muitos séculos os astrónomos eram matemáticos que construíam modelos para a reprodução das observações astronómicas, em particular no que dizia respeito aos corpos do Sistema Solar. Era, dizia-se, o ato de “salvar as aparências”. Quando pensamos nos trabalhos, entre tantos outros, de Eratóstenes, Copérnico, Kepler, Newton, Le Verrier ou Einstein constatamos que o Universo tem sido um extraordinário palco onde a Matemática e a Astronomia se entrelaçam numa dança em favor da Ciência. E muito para além das aparências. Nos tempos mais modernos, podemos continuar a invocar esta ligação, por exemplo, nas descobertas de planetas extrassolares (1995), de ondas gravitacionais (2016) ou da sombra de um buraco negro (2019). Nesta palestra discutiremos alguns destes exemplos e do seu impacto no fortalecimento do conhecimento humano.

 

20 de junho:  A matemática dos empréstimos e dos depósitos a prazo

por Paulo Saraiva (Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra)

Os empréstimos bancários são uma realidade que muitas famílias passam a conhecer a partir do momento em que decidem adquirir um bem (uma habitação, por exemplo) e não possuem dinheiro suficiente para o fazer. Nesta palestra apresenta-se o conceito de taxa de juro composto, aplicando-o ao pagamento de prestações associadas a um empréstimo ou a uma poupança que rende juros numa conta a prazo. Partindo da fórmula da soma dos termos de uma progressão geométrica, deduz-se a relação entre pagamentos periódicos e o montante total de um empréstimo. Problemas conexos serão também apresentados.

 

 

A participação nas Tardes de Matemática de docentes do Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC é feita ao abrigo de um acordo de colaboração estabelecido entre a Delegação Regional do Centro da SPM e aquela instituição.

-----

 

A Delegação da Região Centro da Sociedade Portuguesa de Matemática apoia diversos eventos, no âmbito da divulgação, investigação e ensino da Matemática, realizados na região centro do país.

 

Eventos passados

Duas definições de limite - Uma controvérsia 

13 de Abril de 2018, Universidade de Coimbra

(Debate com Franco de Oliveira e António Bivar)