Primeira bolsa europeia para a história da cartografia atribuída a Joaquim Alves Gaspar

alves gaspar

O Conselho Europeu de Investigação (ERC) acaba de atribuir uma Starting Grant no valor de 1 milhão e 200 mil euros ao investigador português Joaquim Alves Gaspar. O financiamento desta bolsa destina-se ao estudo de cartas náuticas medievais e do Renascimento, usando métodos inovadores: análise cartométrica, modelação numérica e análise multiespectral das cartas. Esta Starting Grant permitirá pagar bolsas de investigação, missões ao estrangeiro e adquirir equipamento. Nos próximos cinco anos, Joaquim Alves Gaspar propõe resolver uma série de questões fundamentais na História da Cartografia.

Este é o primeiro projeto ERC dedicado à história da cartografia, pelo que será um trabalho “altamente inovador”, porque além de contribuir para a investigação da construção de mapas, também constitui uma peça fundamental para a própria história da ciência.

Joaquim Alves Gaspar, de 67 anos, foi Comandante da Marinha Portuguesa durante 36 anos, passou à reserva em 2002 e nessa altura decidiu iniciar uma nova carreira na investigação. Licenciado em ciências militares na Escola Naval, com um mestrado em oceanografia física pela Naval Postgraduate School em Monterey (nos EUA) e especializações em navegação, hidrografia e cartografia matemática, em 2004, inscreveu-se em uma pós-graduação em ciência e sistemas de informação geográfica na Universidade Nova de Lisboa. Em 2010, terminou a sua tese de doutoramento Da carta-portulano do Mediterrâneo à carta de latitudes do Atlântico: Análise Cartométrica e Modelação. Para este trabalho, desenvolveu novas ferramentas de análise cartométrica e de modelação numérica e aplicou-as a cartas antigas. É membro integrado do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), desde 2010, e investigador principal do projeto “The Medieval and Early Modern Nautical Chart: Birth, Evolution and Use”. A experiência como navegador e comandante de navios deu-lhe experiência no uso operacional das cartas náuticas. Escreveu os livros Cartas e Projecções Cartográficas (2000) e Dicionário de Ciências Cartográficas (2004), e é ainda autor de um capítulo no livro Matemática do Planeta Terra, editado, em 2013, pela IST Press com o apoio SPM.

A este projeto juntar-se-á como investigador sénior Henrique Leitão, com quem Joaquim Alves Gaspar trabalhou anteriormente, nomeadamente na resolução do problema da construção da projeção de Mercator.

Publicado/editado: 07/09/2016