Com Peso e Medida por Fernando Silva

 


 


"Com Peso e Medida" é um espaço para ser desenvolvido não por um matemático, mas por um médico. Mas o que é que a matemática tem a ver com a medicina? Sabia que a terminologia "Série de Lesões" tem a ver com a matemática? Pelo menos é uma expressão muito usada nos domínios hospitalares. Nos Estados Unidos da América muitos profissionais da medicina têm tido a necessidade de tirar um segundo curso, nada mais nada menos que o curso de Matemática.


 Fernando Silva - Médico. Especialista em Ortopedia. Mestrado em Medicina Desportiva 


Título: Torres (cilindros) e pirâmides - I


São duas figuras geométricas com intervenção constante na história do homem.


A nossa coluna vertebral poderia configurar uma torre se pensarmos que é constituída por vértebras empilhadas, articulando-se entre si em três pontos (face de pirâmide) e com curvaturas que melhoram a capacidade de postura e movimento, a função respiratória e o alojamento de órgãos no geral.


Num curioso comentário que ouvi sobre a obesidade dizia-se que é necessário “trabalhar muito” para conseguir pesar sustentadamente 180 kg; atendendo a que se não houver um aporte constante em calorias, o peso tende naturalmente a diminuir.


De forma semelhante também “trabalhamos muito e sustentadamente” para ter dores nas costas: muitas horas em trabalhos com flexão anterior do tronco, descansamos destes trabalhos sentados em flexão anterior, no transporte entre os dois continuamos na mesma posição. É frequente o excesso de peso anterior no abdómen e também no tórax, em relação á região posterior do tronco.


Com o passar dos anos deixa-se de fazer exercício adequado e os músculos do dorso enfraquecem e atrofiam. Por fim aqueles 3 pontos de articulação e outros tecidos perdem qualidades com a idade, em progressão para artrose (espondilartrose).


É semelhante a tentarmos montar uma grua com excesso de peso á frente e cabos frágeis atrás. Nem seria necessário vento para cair.


Uma vez que não caímos sustentadamente devido a inclinações de equilíbrio (compensação geométrica), vamos sustentadamente causando sobrecarga sobre os discos intervetebrais, ligamentos e músculos paravertebrais, que resulta mais cedo ou mais tarde nas conhecidas lombalgia aguda ou hérnia discal ou menos conhecida estenose lombar. (salvaguarda-se a existência de predisposição genética e doenças como alguns reumatismos que secundariamente também atingem a coluna).


O re-equilibrio pode conseguir-se com o controlo de peso, cuidados posturais, reforço muscular do tronco com exercício em piscina (ou fora de água com os simples abdominais e dorsais acompanhados de flexibilidade) e controlo das cargas em flexão do tronco.


Atendendo a que a vida não é um plano científico; no geral somos obrigados a transgredir e a perturbar a nossa harmonia geométrica.


Uma última questão: se bem que a maior parte das hérnias discais não tem indicação cirúrgica, quem nos opera se tivermos uma hérnia com indicação cirúrgica? (a continuar).



Artigos dos meses anteriores:

Artigo "Com Peso e Medida" de setembro - dia 3


Artigo "Com Peso e Medida" de julho - dia 3


Artigo "Com Peso e Medida" de junho - dia 3


Artigo "Com Peso e Medida" de maio - dia 3


Artigo "Com Peso e Medida" de abril - dia 3


Artigo "Com Peso e Medida" de março - dia 3


Artigo "Com Peso e Medida" de Fevereiro - dia 3


Artigo "Com Peso e Medida" de Janeiro - dia 3  




Publicado/editado: 03/10/2011